Cátedra em Medicina da Dor assinala Dia Nacional de Luta Contra a Dor

Post 19 of 40

“Hoje celebra-se o Dia Nacional de Luta Contra a Dor mas também se dá início ao Ano Internacional contra a Dor Neuropática. Por este motivo decidimos realizar um simpósio sobre a Dor na Neuropatia Diabética”, salientou ontem José Castro Lopes, Professor responsável pela Cátedra em Medicina da Dor que resulta de uma pareceria entre a Faculdade de Universidade do Porto (FMUP) e a Fundação Grünenthal.

A declaração foi proferida no âmbito do Primeiro Simpósio Internacional da Cátedra em Medicina da Dor da FMUP, subordinado ao tema “Dor na Neuropatia Diabética- presente e futuro”, que decorreu no dia 17 de Outubro na Aula Magna da FMUP.

A indicativa resultou de uma colaboração entre a Cátedra em Medicina da Dor da FMUP e a Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED), beneficiando do facto de Isaura Tavares, professora da FMUP e vice-presidente da APED, ser a coordenadora nacional de um projeto europeu na área da neuropatia diabética- o projeto REDDSTAR (Repair of Diabetic Damage by Stromal Cell Administration). O objetivo do projecto REDDSTAR, no que respeita à equipa de investigação portuguesa, é avaliar a capacidade de uma população de células-estaminais em evitar a neuropatia diabética, induzida por lesão de áreas do sistema nervoso envolvidas na transmissão de informação dolorosa. “Este projeto surgiu pelo impacto que a dor neuropática tem atualmente e o elevado número de diabéticos, sendo que a prevalência da diabetes em Portugal é superior ao resto da Europa”, indica a coordenadora do projeto.

O simpósio abordou a epidemiologia, fisiopatologia e terapêuticas atuais e futuras da dor na neuropatia diabética e destinou-se a profissionais de saúde que lidam com estes doentes, a investigadores e a alunos de Medicina e contou com cerca de 150 participantes.

 

Screen Shot 2014-10-31 at 10.56.26

 

 

Screen Shot 2014-10-31 at 10.56.12

 

 

Screen Shot 2014-10-31 at 10.54.52

 

 

Screen Shot 2014-10-31 at 10.54.21

Menu